Photobucket

Preços:
Membro FN - 5€
Não-Membro - 8€

Nelas 0 vs 1 Sourense

By Redondo on 7:02 da tarde

comentários (1)

Filed Under:

Golo do Sourense apontado por Telmo.

Sourense 1 vs 1 Fornos de Algodres

By Redondo on 6:54 da tarde

comentários (0)

Filed Under:

Golo do Sourense apontado por Rafa Duarte.

UD Gândara 0 vs 1 GD Sourense

By Redondo on 10:34 da tarde

comentários (0)

Filed Under:

Gândara - 0

Treinador: Mário Castro
Equipa inicial – Mauro, Ivo, Tiago (Bruno Simões 68 m), Fábio (cap.), Leitão, Alex, Catarino ( Flávio 84 m), André Gonçalvo, Garfo, Pimpão (Vasco 58 m) e Bandeira
Banco – Hélio, Peijô, Sandro, Vasco, Bruno Simões, Flávio e Miguel Cá.


Sourense - 1
Treinador: Nuno Raquete
Equipa Inicial – Vitor Nogueira, Pimenta, João Dias, Vado, Telmo ( Rebola 85 m), Paulo Raquete, Garcês, Mini, Rafael Duarte (Cap.), Sanches ( Ricardo aos 76 m)e Tavares
Banco – Tiago, Rebola, Pedro Gonçalo e Ricardo


Campo – Parque Desportivo das Lagoas no Bom Sucesso
Arbitragem – Luís Coelho, Gonçalo Nunes e Hugo Antunes - de Coimbra

Acção disciplinar: Amarelo – Ivo (aos 5 m), Tiago (aos 9 m), Alex (aos 25 m), Paulo Raquete (aos 29 m), Sanches (aos 39 m), Vado (aos 54 m), Pimenta (aos 74 m), Leitão ( aos 77 m), André Gonçalo ( aos 79 m)

Marcadores – Ivo na própria baliza (aos 70 m)

Mais um derbie entre o Gândara e Sourense, duas equipas separadas por dois pontos.Uma partida aguardada com certa expectativa já que estavamos perante duas equipas que estão a fazerem bons resultados.Este jogo foi mau demais para ser verdade, numa tarde de muita chuva e vir ver este péssimo jogo, os espectadores saíram do Bom Sucesso defraudados com o espectáculo, que a Gândara e o Sourense deram.

Na primeira parte houve muita luta a meio campo com a bola a andar muito longe das balizas nem uma vez a duas equipas remataram às balizas de Mauro e Vítor Nogueira.A segunda parte não trouxe nada de novo até ao minuto 70 quando Paulo Raquete vai marcar um canto e desse canto surge o golo do Sourense, a bola sai muito chegada ao primeiro poste e Ivo a tentar cabecear para fora fê - lo para dentro da sua própria baliza.

Com este golo os homens de Mário Castro subiram no terreno á procura de chegar ao empate e podiam ter chegado ao golo por intermédio de Bandeira que sobe ao 2º andar e cabeceia ao lado quando não tinha ninguém na baliza. Foi sol de pouca dura, já que até ao final dos noventa minutos nem mais uma oportunidade criada.O Sourense leva três pontos do Bom Sucesso sem o merecer Porque pelo que as duas equipas fizeram o empate era o resultado mais justo.

Arbitragem teve alguns erros.


José Fatia

in Destaque - 2009-11-01 22:02:49

Sourense 1 vs 1 Sp. Pombal

By Redondo on 7:55 da tarde

comentários (0)

Filed Under:

Estádio Dr.António Coelho Rodrigues, em Soure

Árbitro: Luís Caetano (AF.Viseu)


SOURENSE: Vítor Nogueira; Pimenta, João Dinis, Vado e Mané; Paulo Raquete, Tavares e Sanchez (Ricardo, 69'); Telmo (Mini, 65'), Rafael Duarte e Garcês (Hugo, 89').
Treinador: Nuno Raquete


SP.POMBAL: Nuno Viseu; Fábio, Wilson, Toni e Micas; Ascenso, André Costa (Nélson Morgado, 45'), João Pinto (Luís Cláudio, 60'); Testas, Alex e Yanick.
Treinador: Fernando Mateus


Marcadores: Sanchez (22') e Alex (64 g.p)


Sourense e Sp.Pombal repartiram pontos, num jogo bastante agradável de seguir. O empate acaba por saber a pouco para o Sp.Pombal que jogou a partir do minuto 64 com mais unidade, devido a expulsão de Mané, mas não conseguiu aproveitar este facto. O Sourense foi a primeira equipa a criar perigo, quando Garcêz obriga Nuno Viseu a defesa apertada. O Sourense dominava o encontro e foi sem surpresa, que chegou ao golo, à passagem do minuto 22, com Sanchez a inaugurar o marcador. O ex-jogador do Alvaiázere saltou sozinho e á vontade e não teve dificuldades em bater Nuno Viseu.Um minuto depois, wilson esteve perto da igualdade, mas cabeceou à trave.


Ao intervalo, o resultado ajustava-se dado que, o Sourense foi superior no primeiro tempo. No segundo tempo, o Sp.Pombal foi mais afoito, face a um Sourense mais retraído no seu meio-campo. Ao minuto 64, mão na bola de Mané, após remate de Yanick e Luís Caetano não teve dúvidas e apontou para a marca de grande penalidade.
A partir daqui e com um homem a mais, o Sp.Pombal foi dono e senhor do encontro. A quinze minutos do final, Alex obriga Vítor Nogueira a grande defesa. No seguimento do lance, Yanick, esteve perto do golo, num pontapé de bicicleta, mas a bola bateu caprichosamente na barra. Até final, Toni e Luís Claúdio estiveram perto do golo, mas sem sucesso.Num jogo com duas partes distintas, o resultado agrada mais aos pupilos de Nuno Raquete, que foram melhores no primeiro tempo. Boa arbitragem de Luís Caetano.


por André Santos in Oderbie.com

Sourense 3 vs 2 Penamacorense

By Redondo on 10:34 da tarde

comentários (2)

Filed Under:

Garcês preponderante.

Tantos nervos para um líder.

Depois de uma vitória sofrida frente ao Penamacorense, o Sourense é líder isolado da série D, aproveitado o empate do Gândara com o Vigor.

Num jogo em que ninguém queria perder, as duas equipas entraram em campo dispostas a mostrar credenciais. O Sourense liderava, a par com o Gândara e o Penamacorense e não queria perder terreno para os mais directos adversários. E acabaram por ser mesmo os visitantes a entrar melhor no jogo, perante um nervosismo demasiado do Sourense, que raramente se encontrou nos primeiros 20 minutos. Só depois da meia-hora de jogo se começou a ver algum discernimento no futebol de uma e outra equipa, embora o Penamacorense se tenha esforçado mais para chegar ao último reduto do adversário.

Aos 34 minutos surge o primeiro lance de perigo - digno desse nome - criado pelos auri-negros. Jogada construída pela esquerda e Sanches, já em esforço, conseguiu centrar para Telmo que, na “cara” de Oleh, conseguiu emendar para inaugurar o marcador.


Pouco antes do intervalo, um momento de azar para o Sourense, mais particularmente para Rafael Duarte, que escorregou, caiu sozinho e se lesionou com aparato, tendo sido de pronto transportado para o hospital, com colete cervical, ainda que apenas por prevenção. Depois deste episódio e largos minutos decorridos até o jogador ser transportado em maca para a ambulância, o jogo arrastou-se até ao intervalo.


Para a 2.ª parte entraram melhor os homens da casa, empolgados ainda com o golo da 1.ª parte. Do lado do Penamacorense, Vítor Salvado fez entrar Carlitos, tirando Patriarca, recuando Vasco para o centro da defesa.


O jogo continuava entregue aos homens da casa e Salvado quis voltar a mexer na equipa, substituindo Ricardo Costa por Graça. Ainda assim, para sua infelicidade e alegria dos locais, no canto que decorria aquando da substituição, a defesa penamacorense ficou a ver jogar e Garcês, após centro de Ricardo, ampliou o marcador, sem oposição.


Das bancadas e até dos “bancos” já se ouvia dizer que o jogo estava acabado, mas longe disso.

Logo no ataque seguinte, dois minutos depois, a “torre” Vasco fazia o 2-1, sem precisar de saltar entre a defesa local.

Acreditaram os homens de Penamacor, mas Garcês estava num “dia sim” e decidiu resolver a partida com um lance individual, aos 73’. O avançado auri-negro correu mais de 35 metros com a bola no pé, passou por dois defesas, o guarda--redes e até parecia que iria ao fim do mundo para fazer o 3-1. Ainda assim, arriscou de mais, quando tinha um companheiro sozinho ao seu lado. Correu-lhe bem e fez levantar a plateia.


Até ao final, foi sofrer a bom sofrer. O Penamacor ainda marcou, aos 88’, por João Paulo, mas a vitória já não fugiu aos locais. Ainda assim, fica a ideia de que as duas equipas estão bem melhores do que na época anterior e não terão tantas dificuldades numa série bastante competitiva.


in asbeirasonline

BC Branco 1 vs 2 Sourense

By Redondo on 9:32 da tarde

comentários (2)

Filed Under:

No Benfica e Castelo Branco já se nota preocupação do treinador, do presidente e também dos jogadores e sócios da colectividade. O último lugar à terceira jornada não se esperava e há que arrepiar caminho o quanto antes. Vítor Cunha concorda com a nossa análise na transposição de jogo e aí está, sem dúvida, uma das lacunas por nós detectadas. Mas também na defensiva há inquietação, não se podem consentir golos tão levianamente…

Os da casa até entraram bem na partida mas ao primeiro deslize (minuto 7) acabaram por sofrer um golo. A um cruzamento do lado esquerdo do ataque do Sourense, em que a defensiva albicastrense facilitou pela sua passividade, correspondeu Ricardo com uma cabeçada a enviar a bola para o fundo das redes da baliza de Hélder Cruz. Era o inicio menos almejado pelos responsáveis encarnados, e agora era preciso correr atrás do prejuízo. A reacção foi imediata e aos 14`o empate só não aconteceu porque, o guardião Vítor Nogueira, defendeu superiormente um livre apontado por Miguel Vaz.Com vantagem no marcador, a equipa de Soure estava tranquila e jogava no erro caseiro para tentar ampliar. Esta conjuntura quase dava frutos quando ao minuto 19 Mané cabeceou de cima para baixo e obrigou Hélder Cruz a defesa de recurso, evitando assim males maiores. Se na defesa era visível alguma intranquilidade, na transposição de jogo defesa/ataque a ligação não era feita da melhor forma, pelo que a bola raramente chegava em condições de criar embaraços ao guardião contrário. De bola parada tudo era diferente. Há jogadas estudadas e, numa delas, o empate foi desperdiçado por Fabrício que rematou às malhas laterais. Na segunda metade era preciso fazer mais alguma coisa para inverter o rumo dos acontecimentos e tudo parecia caminhar nesse sentido, visto que o empate alcançado quatro minutos após o reatamento por intermédio de Daniel Fernandes, poderia ser o tónico capaz de levar a equipa para uma exibição em crescendo. Puro engano! A equipa continuou com sérias dificuldades na transposição de jogo da forma mais adequada e, pior ainda, permitia que o Sourense se acercasse perigosamente da sua baliza.Foi por isso sem surpresa que o segundo golo para os de Soure aconteceu. Garcês (64`) no sítio certo não perdoou a chance de pôr de novo a sua turma na frente do marcador, e cabia de novo ao Benfica da Beira Baixa, a tarefa de correr atrás do prejuízo.Fixe imediatamente a seguir ainda rematou rente ao poste direito da baliza forasteira, mas o sinal mais continuava a ser dos comandados de Nuno Raquete, que estiveram á beirinha do terceiro por duas vezes. Hélder Cruz defendeu superiormente um remate de Garcês que se isolara, e na recarga valeu Nuno Marques em cima da linda de baliza a evitar que Telmo festejasse. No período de compensação o Benfica tudo fez para pelo menos conseguir o empate mas a desinspiração manteve-se até ao final e nem um cabeceamento de Fabrício, após pontapé de canto de Miguel Vaz, levou o caminho certo (rasou a trave). Enfim… Sobrou transpiração, faltou inspiração…

A arbitragem de Nuno Martins e seus pares não interferiu no desenrolar do encontro.

Sourense 1 vs 0 Vigor

By Redondo on 9:42 da tarde

comentários (0)

Filed Under:

O Sourense venceu no passado Domingo a equipa do Vigor por 1-0. O único golo do jogo foi apontado por Ricardo Costa já no tempo de compensação.